Proteja Contra Doença Pneumocócica

Vacine-se contra a pneumonia

 

A pneumonia é uma infecção causada por uma bactéria chamada Streptococcus pneumoniae, também conhecida como pneumococcus. A bactéria se aloja nos pulmões causando irritação e, consequentemente, a pneumonia. É uma infecção nos pulmões causada pela bactéria pneumococo.

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

Quando a bactéria Streptococcus pneumoniae se instala no organismo, atinge os ouvidos e seios da face (seios paranasais) – espaços preenchidos de ar que estão localizados no interior dos ossos do crânio e da face e se comunicam com a cavidade nasal – causando otites e sinusites. A doença também pode acometer os pulmões e até mesmo a corrente sanguínea ocasionando na pneumonia e meningite.

Vacine-se contra a pneumonia

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A Pneumonia pneumocócica mata 1,6 milhão de pessoas no mundo

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

3 em cada 10 casos de pneumonia são causados pela bactéria pneumococo (Streptococcus pneumoniae).

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A doença é 3ª causa de internação hospitalar Brasil entre os idosos

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A pneumonia pneumocócica é uma causas das que mais mata crianças no mundo. Morre uma criança a cada 20 segundos de pneumonia no mundo.

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A doença pode ser causada por vários motivos:

 

- Ar seco e frio causam lesões nas mucosas do nariz e em outros órgãos que são responsáveis por levar ar aos pulmões;
- Quando acontece a dificuldade dos órgãos levarem ar para os pulmões, eles também comprometem as células de defesa, aumentando as chances de instalação das bactérias;
- Ficar em ambientes fechados, sem circulação de ar.

 

Pessoas propensas a desenvolverem a pneumonia pneumocócica
A doença é frequente em crianças menores de 5 anos e idosos, mas também pode atingir facilmente pessoas que fazem parte deste grupo que possuem esses fatores de risco:

 

- Portadores de doenças respiratórias - Fumantes
- Portadores de doenças cardíacas
- Portadores de doença do sistema imunológico
- Diabéticos

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A probabilidade da pneumonia pneumocócica acontecer é quando o sistema de defesa está fraco por conta de uma gripe ou outras doenças como doenças respiratórias, tabagismo ou doenças de ordem crônica. Além disso, o envelhecimento também conta, pois o organismo perde sua capacidade de defesa, especialmente a partir dos 50 anos.

Vacine-se contra a pneumonia

 

Os sintomas da pneumonia são parecidos com os da gripe, por isso, existe muita confusão com ambos. Os principais são:

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

 

* Selecione uma das opções abaixo!

Vacine-se contra a pneumonia

 

Os sintomas são parecidos, mas além disso, a pneumonia pneumocócica também causa fraqueza, queda na pressão arterial, falta de ar, frequência cardíaca elevada e confusão mental, sem contar que esses efeitos são mais duradouros.

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

O diagnóstico pode ser feito com exame clínico, auscultação (escutação) dos pulmões e radiografias de tórax.
*É importante sempre consultar um médico quando perceber os sintomas da doença.

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A pneumonia pneumocócica pode ser prevenida das seguintes maneiras:
- Vacinação
- Adquirir hábitos saudáveis
- Não fumar e beber
- Ter uma alimentação saudável
- Realizar exercícios físicos com regularidade
- Evitar ficar exposto a mudanças bruscas de temperatura
- Ir ao médico com regularidade

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A vacinação contra a Pneumonia Pneumocócica, realizada amplamente em todo o mundo, é uma ferramenta importante para prevenirmos e diminuirmos a carga dessa doença.

É importante que você saiba que, para cada faixa etária, existe um esquema vacinal com o número de doses específico, que deve ser orientado pelo profissional de saúde.

Vacinar contra a gripe não garante proteção direta contra a pneumonia pneumocócica.

 

A vacina está licenciada para todas as idades, a partir de 8 semanas de vida.

Fale com seu médico!

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

Vacinas Pneumocócicas Polissacarídicas: Em 1977, a primeira vacina contra o pneumococo foi licenciada com os componentes polissacarídeos da cápsula pneumocócica purificados. As limitações próprias de vacinas compostas somente de polissacárides, como a não eficácia em lactentes, a curta duração proteção, a ausência de memória imunológica, a não atuação no estado de portador e a tolerância imunológica após doses repetidas, impediram seu uso rotineiro para controle da doença pneumocócica. Atualmente é recomendado em populações em risco de desenvolver uma doença pneumocócica invasiva a partir de 2 anos de idade e na população senil. Podem conter até 23 sorotipos em sua composição.

 

Vacinas Pneumocócicas Conjugadas: Licenciada pela primeira vez em 2000, essas vacinas possuem o componente imunogênico polissacarídico associado (conjugado) com um componente proteico. Esse avanço de tecnologia das vacinas pneumocócicas conjugadas permitiu a conversão dos antígenos polissacarídicos, que induzem resposta imunológica independente de células T, em antígenos dependentes de células T (anticorpos de memória) capazes de induzir uma resposta imune mesmo em crianças abaixo de dois anos de idade, com produção de altos títulos de anticorpos e geração de memória imunológica por longo tempo, com capacidade de reduzir o estado de portador. Várias formulações de vacinas conjugadas com diferentes valências de polissacarídeos foram desenvolvidas podendo no momento conter até 13 sorotipos em sua composição.

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

NOME: Prevenar 13 (vacina pneumocócica - 13 valente - conjugada)

 

- Eficaz contra Streptococus Pneumoniae dos sorotipos 1, 2, 4, 5, 6ª, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19ª, 19F e 23F.

 

- Indicada para prevenção de doenças invasivas, pneumonia e otite média causada pelo Streptococcus Pneumoniae.

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

A vacina Prevenar 13 deve ser aplicada de forma intramuscular (no músculo) na perna ou no braço, dependendo da faixa etária do paciente a ser avaliada pelo profissional de saúde responsável pela aplicação.

Vacine-se contra a pneumonia

 

- Em crianças até 12 meses - total de 4 doses (esquema vacinal: 2, 4, 6 meses de vida e reforço de 12 a 15 meses).

 

- Crianças com início de vacinação de 7 meses a 12 meses de vida - total de 3 doses (esquema vacinal com intervalo de 2 meses de cada dose e o reforço com 12 a 15 meses de vida).

 

- Crianças acima de 1 ano até 24 meses de vida - total de 2 doses (esquema vacinal com intervalo de 2 meses entre as doses).

 

- Crianças acima de 2 anos e adultos - total de 1 dose.

 

*OBS 1: Pacientes que tomaram a vacina Pneumocócica 23 antes da vacina Prevenar 13 deverão esperar um período (intervalo) de um ano para se imunizar com a pneumocócica 13 (Prevenar 13).

*OBS 2: Prevenar 13 funciona estimulando o sistema imunológico do indivíduo a produzir resposta imune (defesa) de longa duração e com memória imunológica. Ou seja, diminui o risco de pessoas vacinadas contraírem doenças causadas pela bactéria pneumocócica, cujos tipos estão presentes nesta vacina. Os estudos demonstram que a resposta adequada à vacina é obtida após terem sido utilizados os esquemas de doses adequados para cada faixa etária, conforme recomendado acima e presentes essas informações na bula a disposição em anexo.

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

Aumento de linfonodos na região do local da aplicação.

 

Angioedema.

 

Dermatite, urticária e prurido no local da aplicação após alguns dias ou horas.

 

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

Prevenar 13 está contraindicado para pacientes em estado febril e para pacientes a qualquer dos componentes da vacina incluindo toxóide diftérico (vide bula anexa).

Vacine-se contra a pneumonia

 

 

Bula da Vacina PREVENAR 13

 

Vacine-se contra a pneumonia

 

 

Referências

 

1. JUNIOR, MELQUIADES. Pneumonia é mais comum a partir dos 50 anos. Diário do Nordeste, seção Vida, página 71, em 07/05/2016.

2. BVS – Biblioteca Virtual em Saúde. Dicas em saúde. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/233_pneumonia.html. Acesso em dezembro/2016.

3. Respiratory viruses predisposing to bacterial infections: role of neuraminidase – Ville T. Peltola, MD, PhD and Jonathan A. McCullers, MD - Pediatric Infectious Disease Journal: January 2004 - Volume 23 - Issue 1 - pp S87-S97.

4. Ludwig E et al. The remaining challenges of pneumococcal disease in adults. Eur Respir Rev. 2012 Mar 1;21(123):57-65.

5. Weinberger B et al. Biology of Immune Responses to Vaccines in Elderly Persons. Clinical Infectious Diseases 2008; 46:1078–84.

6. Kyaw MH, et al. The influence of chronic illnesses on the incidence of invasive pneumococcal disease in adults. J Infect Dis. 2005 Aug 1;192(3):377-86.

7. Weiskopf, D. Weinberger, B. Grubeck-Loebenstein, B., The aging of the immune system. Transplant International 2009,22:1041–1050.

8. Centers for Disease Control and Prevention. Updated Recommendations

for Prevention of Invasive Pneumococcal Disease Among Adults Using the 23-Valent Pneumococcal Polysaccharide Vaccine (PPSV23). MMWR. 2010,59(34):1102-1106.

9. Jackson ML, et al “Influenza vaccination and risk of community-acquired pneumonia in immunocompetent elderly people: A population-based, nested case-control study” Lancet 2008; 372: 398-405.

10. Cruz-Licea V, et al. Flu symptoms and preventive measures practiced by the inhabitants of Mexico City during the AH1N1 influenza epidemic. Rev Invest Clin. 2013 Jul-Aug;65(4):284-90.

11. Centers for Disease Control and Prevention. Pneumococcal disease. In: Atkinson W, WolfeS,Hamborsky J, eds. Epidemiology and Prevention of Vaccine-Preventable Diseases. 12th ed. Washington, DC: Public Health Foundation; 2011:233-248. Disponível em: http://www.cdc.gov/vaccines/pubs/pinkbook/- downloads/pneumo.pdf. Acesso em dezembro 2016.

Referências bibliográficas:

1. WHO. WORLD HEALTH ORGANIZATION

Disponível em: http://www.who.int/immunization/documents/general/WHO_Mission_Vision_Immunization_Vaccines_2015_2030.pdf?ua=1. Acessado em: 27/09/2017.

2. Família SBIm. Sociedade Brasileira de Imunizações. Disponível em: https://familia.sbim.org.br/doencas. Acessado em: 27/09/2017.

3. van Deuren M, Brandtzaeg P, van der Mer JWM. Update on Meningococcal Disease with Emphasis on Pathogenesis and Clinical Management. Clin Microbiol Rev. 2001;13:144-66.

4.CDC. Meningococcal Disease. Prevention. Disponível em https://www.cdc.gov/meningococcal/about/prevention.html Acessado em 27/09/2017. UNICEF/

5. World Health Organization. Pneumonia: the forgotten killer of children. Disponível em: htttp://childinfo.org/¬ les/Pneumonia_The_Forgotten_Killer_of_Children.pdf. Acessado em: 27/09/2017.

6. Alderson MR. Status of research and development of pediatric vaccines for Streptococcus pneumoniae. In Vaccine. 2016;34(26):2959-2961. ISSN 0264-410X. Disponível em https://doi.org/10.1016/j.vaccine.2016.03.107.

7. Backhaus E, Berg S, Andersson R, et al. Epidemiology of invasive pneumococcal infections: manifestations, incidence and case fatality rate correlated to age, gender and risk factors. BMC Infect Dis. 2016;16:367.

8. WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Weekly epidemiological record 6 APRIL 2012, 87th YEAR Nº 14, 2012, 87, 129–144. Disponível em: http://www.who.int/ wer/2012/wer8714.pdf?ua=1. Acessado em: 27/09/2017.

 

 

O Cincor - Centro Integrado do Coração - realiza, em parceria com o Cincor Vacinas e a Pfizer Vacinas, fabricante da Vacina Contra a Doença Pneumocócica, uma campanha para imunizar o máximo de pessoas possível.
Esta parceria promove o acesso a uma condição ímpar para a prevenção contra os tipos da doença pneumocócica, onde as pessoas conseguem se proteger de acordo com a indicação em bula.

 

 

Cincor Vacinas

 

 


 

 

Parceiros